Casa Mário Andrade realiza lançamento do livro ‘O racismo e o negro no Brasil’

Casa Mário Andrade realiza lançamento do livro 'O racismo e o negro no Brasil'

Próximo sábado (12), a Oficina Cultura Casa Mário de Andrade, instituição da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo gerenciada pela Poiesis, promove o lançamento do livro O racismo e o negro no Brasil: questões para psicanálise, organizado por Noemi Moritz Kon, Maria Lúcia da Silva e Cristiane Curi Abud.

Um de bate-papo será realizado às 11h para fomentar a discussão sobre o racismo, questão sempre pertinente no país com o tema “O Brasil é racista, mas eu não”.

No Brasil, a dificuldade de perceber a dimensão da questão racial trava o processo de construção e constituição do país como nação. Como explicar a cruel tendência de invisibilizar e subjugar, através do ideal da brancura, o não branco? O livro reúne artigos que pensam a questão do racismo no país nos âmbitos histórico, sociológico, psicanalítico e institucional. Artigos de Kabengele Munanga, Isildinha Baptista Nogueira, Maria Lúcia da Silva, Lilia Moritz Schwarez e Miriam Chnaiderman compõem o trabalho. “Sem nenhum equívoco, sabemos que as camadas da colonização e da escravatura são de tamanha espessura que, de tal sorte, até hoje cobrem o nosso tecido social, sobrevivendo com tenaz resistência aos humores dos tempos.

De acordo com Noemi Moritz Kon, “O Brasil é um país traumatizado que jamais ajustou contas com suas dores terríveis, obscenas, da colonização e da escravatura”, afirma uma das organizadoras da obra.

A Oficina Casa Mário de Andrade foi inaugurada em agosto de 1990, no bairro da Barra Funda, endereço da antiga casa do escritor e intelectual Mário de Andrade, um dos principais ideólogos do movimento modernista e da Semana de Arte Moderna, em 1922. O espaço pertence à Secretaria da Cultura do Estado e é gerenciado pela organização social Poiesis.

Serviço:

O QUÊ: Lançamento do livro O racismo e o negro no Brasil
QUANDO: 12/8, sábado às 11h
ONDE: Casa Mário de Andrade Rua Lopes Chaves, 546 – Barra Funda – São Paulo
Recomendação etária: livre.