Exporural 2018 recebe II Exposição de Cachaças do Nordeste

0
Foto Divulgação

Com suas peculiaridades, aromas e sabores próprios, as cachaças baianas já ganharam o mundo, sobretudo os mercados da Europa, Ásia e África, mas pesquisas apontam que ainda existe um mercado interno que precisa ser explorado e expandido. No sentido de apoiar a organização do setor e divulgar a bebida típica, símbolo do país, a Exporural 2018 recebe a II Exposição Cachaças do Nordeste. A feira agropecuária começa domingo (12), no Parque de Exposições de Salvador, e vai até o dia 19 (domingo).

A mostra, aberta à visitação em todos os dias da Exporural, utiliza de diferentes artifícios para chamar a atenção dos consumidores e público em geral para suas cachaças de qualidade. Os expositores não economizam em criatividade, seja com a apresentação de uma variada carta de rótulos e decoração das garrafas, seja na preparação de um drink ou de um prato típico que levam a bebida como ingrediente de destaque.

Na programação gastronômica, chefs regionais, internacionais e convidados apresentam pratos que fazem sucesso e ministram aulas na “cozinha show”, montada no estande da Kikaxassa, loja que comercializa mais de 20 rótulos, na sua maioria baianos. Já a Cachaça Limoeiro, produzida no município de Feira da Mata, inova trazendo para o evento a harmonização da cachaça com o charuto, já popularizada em alguns países como Panamá e Itália por clubes e confrarias.

Diferencial  –As etapas para a produção da cachaça artesanal, ou de alambique, começam no plantio da cana de açúcar e passam pela sua colheita, a fermentação, a destilação em alambiques de cobre e o envelhecimento em tonéis de madeiras nobres. Este processo confere à cachaça da Bahia características exclusivas, como aroma atraente, suavidade e sabor peculiar.

“Da Chapada ao Litoral, não existe cachaça igual. Cada uma com suas características, definidas a partir do microclima da região de origem e do envelhecimento nos barris de carvalho, jequitibá ou jaqueira”, defende o técnico Nelson Luz Pereira, que atua desde 1985 na produção da Cachaça Abaíra, produzida pela Associação dos Produtores de Aguardente da Microrregião de Abaíra (Apama).

Ainda segundo ele, existe um preconceito muito grande em relação ao consumo da cachaça, o que está sendo desmistificado com a realização de pesquisas e o uso na gastronomia, valorizando pratos típicos. “Agora, os chefs descobriram que, além da cerveja e vinhos, têm a disposição a cachaça. As cachaças in natura também são muito valorizadas, sobretudo na confecção de drinks e coquetéis, pois agrega a qualquer iguaria ou fruta, agradando aos diversos paladares“, avalia Pereira. A Cachaça pode harmonizar com tudo desde carnes das mais nobres (cordeiros, novilha, peixes, crustáceos e aves) a sobremesas (peras flambadas na cachaça, ficam perfeitas).

SERVIÇO:

19ª Exporural
Data: 12 a 19 de agosto de 2018
Horário de funcionamento: das 8h às 20h
Local: Parque de Exposições de Salvador
Ingresso: R$ 10,00 (crianças de até 10 anos e adultos a partir de 60 anos não pagam)
Informações: (71) 3375-4574