Salvador ganha jardim etnobotânico com espécies sagradas para o candomblé

0
Pedra de Xangô | Foto Divulgação

Nesta sexta-feira (08), foi criado o primeiro jardim etnobotânico do Parque em Rede Pedra de Xangô, em Cajazeiras, com o plantio de sete árvores de espécies sagradas do candomblé. As mudas, doadas pelo povo de santo que mora na região, serão das espécies peregun, akoko, sangue lavou, espada de Iansã, tapororoca e aroeira.

A iniciativa pretende engajar moradores, adeptos das religiões de matriz africana e integrantes do grupo de trabalho de Unidades de Conservação, composto por técnicos da Secretaria da Cidade Sustentável e Inovação (Secis) e representantes da sociedade civil, como cidadãos, associações, universidades e ONGs.

As plantas cultivadas no bosque etnobotânico serão utilizadas para fins religiosos, medicinais e alimentares, atendendo às comunidades que vivem próximas ao parque.